13 de agosto de 2020

Presidente da Fecam, prefeito de Major Vieira é preso em operação do Gaeco

 


O prefeito de Major Vieira, Orildo Severgnini, está entre os presos na manhã desta quinta-feira (13) na segunda etapa da operação Et pater filium, deflagrada pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). As investigações envolvem suspeitas de fraudes em licitações. Severgnini é presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam).

Membros da Procuradoria Jurídica da prefeitura e do secretariado estão reunidos para discutir o caso, e não foram localizados pela coluna no início da manhã.

O mandado de prisão preventiva foi expedido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), porque o prefeito tem foro privilegiado. Além dele, mais uma pessoa foi presa preventivamente. Também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nas cidades de Major Vieira, Papanduva e Monte Castelo, todas no Planalto Norte.

O foco das investigações são licitações que envolvem contratações públicas, especialmente no ramo da construção civil. A primeira etapa da operação ocorreu em 31 de julho, quando foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão em Major Vieira e Balneário Piçarras, em Santa Catarina, e em União da Vitória, no Paraná. 

Na ocasião, o Ministério Público divulgou que há suspeitas de direcionamento de contratos para empresas parceiras dos investigados, em troca de supostas vantagens para os agentes públicos. O que, de acordo com nota do MPSC, teria trazido “danos milionários aos cofres públicos”.

A defesa do prefeito não foi localizada. Assim que se pronunciar, sua posição será publicada. A Fecam também não se manifestou ainda sobre a prisão. 

Orildo Severgnini assumiu a função em junho, com a saída do prefeito de Caçador, Saulo Sperotto, que deixou o cargo atendendo à lei eleitoral, já que pretende concorrer à reeleição.

Fonte: NSC

Comentários
0 Comentários