5 de agosto de 2020

Vídeo que flagra PMs agredindo jovens não ocorreu em Zortéa


Um vídeo que circula em redes sociais mostra policiais militares agredindo dois jovens, o fato ocorreu Guabiruba, no Vale do Itajaí, e não durante a ação realizada no último final de semana no município de Zortéa, como divulgado em forma de Fake News. O caso ocorreu na madrugada de domingo (2) e nessa terça-feira (4) o comando da 7ª Região da PM, em Blumenau informou que um inquérito militar está sendo instaurado para investigar o caso.

Confira o áudio do Capitão da PM de Campos Novos, Marcelo Macedo, que esclarece a situação:



 

O Caso

Os policiais foram chamados por volta de 0h30 para encerrar uma festa que reunia cerca de 25 jovens entre 18 e 24 anos em um quiosque no bairro Holstein, em Guabiruba. Um decreto estadual proíbe eventos por causa da pandemia, mas na cidade há também um decreto municipal com a proibição.

Quando os policiais chegaram, algumas pessoas fugiram para a mata, segundo a PM. O vídeo capturou um trecho da ação da PM no quiosque, logo depois que um dos jovens falou sobre "covardia".

Os policiais começam a questionar quem falou aquilo. Ninguém respondeu e um policial dá um soco na barriga de um dos rapazes. Novamente os policias continuam questionando e ninguém responde. Os policiais ficam na frente de outro rapaz e usam a arma para bater na barriga dele também.

No local a PM diz ter encontrado certa quantia de maconha, não detalhada e que os abordados foram desrespeitos, exigindo "ações mais enérgicas dos policiais". As idades dos envolvidos não foram divulgadas. 

"Segundo os policiais, desde o início da ocorrência eles se depararam com uma postura debochada e desrespeitosa por parte dos presentes perante as autoridades policiais, bem como, presenciaram murmúrios inadequados e não autorizados, pois foi determinado silêncio a todos, além de desobediência a algumas verbalizações, resultando em ações mais enérgicas por parte dos policiais na abordagem as quais estão repercutindo negativamente", informou a PM.

Ainda segundo a PM, os policiais que aparecem na imagem têm bom histórico e o que ocorreu se trata de uma ação isolada.

A 5ª Promotoria de Justiça da Capital também deve requisitar a abertura de inquérito, junto a corregedoria. "Antes mesmo que haja requisição do Ministério Público, o comando local está adotando as providências. Determinei instauração do inquérito policial para as circunstâncias da ocorrência e vamos apurar e ouvir todas as pessoas que estavam no local", informou o coronel Ricardo Alves da Silva, comandante da 7ª Região da PM, em Blumenau, a qual Guabirura é subordinada. A conclusão deve sair em 40 dias.


Portal Correio Camponovense

" A informação na hora certa"



Comentários
0 Comentários