10 de maio de 2021

Vacinação em SC: 55,8 mil novas doses da vacina Coronavac chegam ao estado para aplicação da segunda dose





O Governo de Santa Catarina recebeu no sábado, 8, nova remessa com mais 55,8 mil doses da vacina Coronavac. As doses chegaram ao aeroporto de Florianópolis, às 10h, e foram encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio, para a organização da logística de distribuição para as 17 Unidades Descentralizadas de Vigilância Epidemiológica (UDVEs) das Regionais de Saúde de Santa Catarina. A distribuição das doses começa ainda neste sábado, no início da tarde.

"Nossa prioridade sempre foi a distribuição célere aos municípios para garantir a proteção do maior número de catarinenses. A imunização é nossa principal ferramenta contra a Covid-19 e vamos seguir esse trabalho intenso junto às prefeituras e equipes de saúde, logística e segurança", destaca o governador Carlos Moisés.

As vacinas começam a ser distribuídas às 13h via aérea e terrestre. O avião do Corpo de Bombeiros Militar levará as doses para as centrais regionais de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xanxerê, Concórdia e Joaçaba. O avião da Polícia Militar distribuirá as doses para as centrais de Mafra, Lages e Videira. As doses para Rio do Sul, Grande Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Tubarão, Criciúma, Araranguá, Blumenau e Itajaí serão encaminhadas via terrestre. A previsão é que todas as doses cheguem às 17 UDVEs ainda neste sábado.

Neste primeiro momento, serão encaminhadas aos municípios catarinenses 47.230 doses da vacina do laboratório Sinovac/Butantan, exclusivamente, para aplicação da segunda dose. Este número de doses, segundo levantamento realizado com os próprios municípios, é suficiente para que todos consigam completar o esquema vacinal das pessoas que já receberam a primeira dose.

"É fundamental que as pessoas tomem as duas doses da vacina contra a Covid-19 para garantir a proteção completa. Com essa nova remessa, conseguimos avançar na imunização e em breve iniciar outros grupos prioritários, como o com comorbidades, com efetividade e agilidade", explica o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro. 

Comentários
0 Comentários