Header Ads Widget

ANUNCIO NOTICIAS SUPERIOR

Conselho de Alimentação Escolar denuncia escassez de alimentos na merenda escolar em Campos Novos

 


O Conselho de Alimentação Escolar (CAE), formado por profissionais ligados à Educação, denuncia em relatório assinado por vários profissionais, escassez de alimentos para as crianças do Ensino Infantil, em duas unidades educacionais, da Rede Municipal de Ensino.

Um dos relatórios, descreve que no dia 30 de setembro desde ano, membros do Conselho, no Centro de Educação Infantil a Caminho do Futuro, receberam denúncia sobre possível desvio de alimentos da escola, por pessoas à empresa terceirizada.

A empresa de Joinville, foi contratada pela prefeitura de Campos Novos em março deste ano, no processo de terceirização da merenda escolar, com obrigação de fornecer os alimentos, preparar e servir as crianças.

Antes de terceirizar, a merenda era comprada pela próprio município e as merendeiras eram funcionárias das escolas. Boa parte dos alimentos era comprada da agricultura familiar e a merenda era destaque nas escolas. 

O contrato de terceirização foi de R$ 5 milhões, 287 mil  reais. 

Relata o Conselho de Alimentação Escolar que:

"Dando continuidade a observação da merenda, na última semana de setembro, no dia 26, a escola recebeu 15 caixas de morangos, com 4 bandejas em cada uma, totalizando 60 bandejas de morangos. Mas durante semana de 26 a 30 de setembro, a fruta não foi oferecida em nenhum dos dias para as crianças".

No dia 30, membros do Conselho de Alimentação Escolar informaram a direção do CEIM A Caminho do Futuro que não havia morangos na cozinha.

"No dia 4 de outubro, a escola recebeu de novo 20 caixas de morango, ou 80 bandejas. No dia 6, na cozinha, o Conselho constatou a falta de 50 bandejas da fruta. E em nenhuma refeição o morango havia sido oferecido às crianças da escola". 

O fato foi denunciado, mas o Conselho afirma que foi orientado a somente observar e relatar.

Uma outra denúncia, desta vez do Centro de Educação Infantil Pequeno Anjo, descreve que  "no dia 27 de novembro, no almoço, as crianças do Berçário II, não puderem comer peixe, porque não tinha para todos e só foi servido arroz, feijão e batata".

Segundo o Conselho de Alimentação Escolar havia apenas 5 kilos de peixe para 150 crianças e mais 10 professores. O relatório foi assinado e foram feitas fotos.

Na mesma escola, o Conselho de Alimentação Escolar relata que na primeira semana de outubro, não havia carne para as crianças: " Nem carne moída bovina, nem frango e nem peixe. Chegou apenas carne moída suína e só alguns cubos de carne bovina".

O relatório continua: "O almoço das crianças foi feijão, arroz e carne suína moída, repetido na segunda e na quarta".

Os profissionais da Educação, tanto do Conselho, como professores da unidade, questionaram a escassez e a falta de diversidade da alimentação, preocupados com uma boa alimentação para as crianças.

Os fatos chegaram à Câmara de Vereadores e foram denunciados pelo vereador Darcy Pedroso, que aguarda documentação oficial a respeito, já requisitada à pasta da Educação.

A Secretária Municipal de Educação, Adriana Zanatta, informou que tem conhecimento sobre a denúncia da escassez de alimentos nessas duas escolas. 

Segundo Adriana, as denúncias são pontuais e só se referem às duas undiades. A secretária de Educação observou ainda que o contrato com a empresa terceirizada se encerra em 08 de março do ano que vem, e que até lá, o destino da merenda será decidido. Adriana disse que a empresa terceirizada foi acionada.


Fonte: Rosely S Rossi - Rádio Cultura



Postar um comentário

0 Comentários

ANUNCIO RODAPÉ NOTICIAS